Papersoft @ Oje - IoT, mobility and business processes

Papersoft was invited to participate in this special edition of “OJE O Jornal Económico”. Check out what Hugo Pacheco,  Head of Presales & Solutions, has to say about ‪Document Management‬, ‎Internet of Things‬, and ‎Mobility [PT]‬: http://www.oje.pt/mobilidade-iot-evolucao-dos-processos-negocio/


“Mobilidade, IoT e a evolução dos processos de negócio

Publicado em: 27/05/2016 – 0:58:15

A utopia do mundo sem papel poderá não ser alcançável, mas poderá estar a caminhar-se pelo menos nesse sentido. A mobilidade, o IoT, a cloud estão a contribuir para a melhoria dos worflows nas empresas e no Estado.

Numa altura em que se antecipa que dois terços das empresas do setor público tenham todos os processos centrais em formato digital, até 2018, um resultado do estudo da Xerox “Digitalisation at Work”, a melhoria dos processos associados à gestão documental, workflow e impressão está na ordem do dia. Dentro do universo das tecnologias de informação e comunicações a gestão documental e a impressão são mercados que estão a evoluir aceleradamente com o novo paradigma tecnológico que inclui pilares como a cloud, a mobilidade, a Internet das Coisas (IoT), a big data ou o analytics.

Atualmente, “mais de 80% da informação que chega às empresas não é estruturada. Não está pronta a ser a ‘consumida’ pelos sistemas que as empresas usam para tomar decisões. Este facto faz com que os processos nas empresas estejam quebrados, as pessoas inundadas de informação, o que coloca as empresas numa situação de incapacidade de satisfazer as necessidades dos clientes”, explica Hugo Pacheco, Head of Presales & Solutions da Papersoft. A solução passa pela gestão documental e de workflows que é impactada atualmente pelo “consumo de software via cloud e mobile (expectativa de “pronto a utilizar”, em qualquer altura, em qualquer lugar e de qualquer forma) e o aumento exponencial da quantidade de informação disponível (IoT e aparelhos conectados) ”.

O que contratam as empresas

Para a Papersoft, a estratégia “é aproveitar o poder da gestão documental para gerir conteúdos na era do “caos de informação”. Isto envolve quatro áreas: captura móvel descentralizada e classificação da informação nos múltiplos pontos de entrada; automatização de processos e decisões negócio (extração de dados, análise de dados e autorregulação de casos “fora da norma”, e interoperabilidade com sistemas legacy); gestão dos ativos digitais, aplicação de prazos de retenção e gestão de dados pessoais; e trabalho remoto e acesso seguro a conteúdos”, explica Hugo Pacheco.

…”